PTistas desempregado quer ser o novo presidente da Funai

Derrotado nas eleições para o Governo de Rondônia, o deputado federal Padre Ton (PT-RO) estará desempregado a partir de janeiro, mas já busca formas de se manter empregado no Governo. O petista tem se oferecido para ocupar o cargo de presidente da Funai, abandonado por Guta Assirati no início deste mês de outubro. Na Câmara, Padre Ton atuou como coordenador da Frente Parlamentar de Apoio aos Povos Indígenas.

Polícia encontra carro do agricultor sequestrado por índios no sul da Bahia

O carro do agricultor Raimundo Domingues Santos, 54 anos, sequestrado por índios pataxó no dia 09 de agosto foi encontrado pela polícia na última terça feira (14) a cerca de 500 metros da fazenda onde ocorreu o crime. O agricultor continua desaparecido.

Índios do Mato Grosso do Sul estão com Azambuja e Aécio Neves

Além de afirmar que o Governo do PT não está fazendo nada em favor dos índios, Silvana Terena, Elcio Terena e Elizur Gabriel anunciaram apoio aos tucanos Reinaldo Azambuja e Aécio Neves. Os três são irmãos do indíena Oziel Gabriel, morto pela Polícia Federal ao resistir ao cumprimento de uma ordem judicial de reintegração de posse de uma fazenda invadida no Mato Grosso do Sul.

Azambuja alcança Delcíndio na disputa pelo govenro do Mato Grosso do Sul

A disputa pelo governo do Mato Grosso do Sul – um confronto entre PT e PSDB, assim como na corrida presidencial – permanece em empate técnico, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (20). Reinaldo Azambuja (PSDB), segundo colocado no primeiro turno, aparece na frente com 51% das intenções de voto, contra 49% de Delcídio Amaral (PT), que chegou em primeiro lugar no primeiro turno.

Cacique Babau prefere o PT e votará em Dilma Rousseff


O grande jornalista de um lado só, Felipe Milanez, informou hoje por meio de usa página no Twitter que o Cacique Babau é eleitor de Dilma Rousseff. Para quem não sabe, Babau pode ser coroado rei da Babaulândia, um naco de terra de 47 mil hectares no sul da Bahia de onde os indigenistas pretendem expulsas outros milhares de pequenos agricultores para que a área possa ser entregue ao povo de Babau.

Indigenismo comemora expulsão de agricultores


Felipe Milanez é um repórter indigenista. Suas matérias tem sempre o condão e iluminar o lado dos indigenistas e esconder todos os outros lados. Milanez escreve bem e suas matérias, em geral, alcançam veículos de mídia internacionais. É um (de)formador de opinião.

O processo de demarcação está sendo revisto, diz o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo

Em quatro anos de governo, a Presidente Dilma Rousseff reconheceu 2 milhões de hectares, que deram origem a 11 terras indígenas, no Pará e no Amazonas. Neste ano, nenhum decreto foi assinado. A marca é 15 vezes menor do que a do primeiro governo Fernando Henrique Cardoso (1995-1999). Nas duas gestões, o tucano homologou 41 milhões de hectares distribuídos por 141 territórios, 93,5% deles no Norte do país. No governo Lula (2003-2010), foram 84 áreas, com 18 milhões de hectares.

Entenda o caso da Portaria 303: Supremo Tribunal Federal sugere que AGU restabeleça os efeitos da Portaria 303

A equipe do Questão Indígena preparou um roteiro para que você entenda o imbróglio da Portaria 303 e a importaria do chamado "marco temporal" para o fim dos conflitos causados pela Funai no campo. Não deixe de ver os vídeos. Eles explicam e ajudam a entender parte da história.

Marina diz que Aécio se comprometeu em fazer as demarcações de terras indígenas

"Ele se comprometeu em fazer demarcação de terras indígenas, se comprometeu com uma agenda para o bem do Brasil. Foi diante desse compromisso que eu declarei o meu apoio", disse Marina Silva ontem em Belém. A ex-candidata do PSB à Presidência da República participou de um evento em apoio à campanha do candidato à reeleição ao governo do Pará, Simão Jatene (PSDB), em Belém.

O biruta

Indígenas tentam reverter decisão do STF que acabou com a farra das demarcações

O grupo de índios guaranis-kaiowás que desde ontem está acampado em frente ao STF (Supremo Tribunal Federal) foi nesta quinta-feira (16) ao Palácio do Planalto, ao Ministério da Justiça e à Procuradoria Geral da República buscar apoio para tentar reverter a decisão da 2ª turma do STF que acabou com a farra das demarcações promovida pela Funai.

Aécio e Dilma receberão índios

Aécio Neves receberá representantes da Associação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) na próxima segunda-feira, 20. A entidade pretendem entregar aos candidatos à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), uma carta com reivindicações. A campanha de Dilma ainda não definiu data nem local.

Polícia Federal deflagra operação contra milícia indígena no Mato Grosso do Sul

A Polícia Federal deflagrou hoje (16) a Operação Parajás, na qual foram cumpridos nove mandados de busca e apreensão na Aldeia Indígena Rancho do Jacaré, localizada no município de Laguna Caarapã/MS, tendo em vista que na comunidade indígena havia uma milícia armada que praticava uma série de crimes contra seus membros, tais como tentativa de homicídio, lesões corporais, ameaça e constrangimento ilegal.

STF recomenda que AGU restabeleça os efeitos da Portaria 303

Foto: Montagem a partir das fotos de Nelson Jr./STF e Marcelo Casal Jr./ABr
Altamente conveniente que o eminente Advogado Geral da União restabeleça a vigência da Portaria AGU nº 303/2012 em ordem a adequar ao julgamento plenário da Pet 3.388/RR (Raposa Serra do Sol) a atuação dos órgãos jurídicos da FUNAI e da própria União Federal, sempre que se tratar de demarcação administrativa de terras indígenas.

Não se faz mais pistoleiros como antigamente

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) recebeu na última sexta-feira, 10 de outubro, o relato de uma "ameaça" contra liderança indígena guarani-kaiowá. De acordo com o relato publicado na página do MPF-MS, o índio foi abordado por um homem de bicicleta ao retornar de uma reunião realizada na Prefeitura do município. Ainda de acordo com o relato, o "pistoleiro" de bicicleta questionou o indígena sobre nomes de líderes da comunidade, exibiu armas e deixou o alerta “com isto aqui a gente resolve o problema”.

Enquanto isso... Cimi usa miséria indígena para comover ministros do STF a mudar decisão da 2ª Turma

Cerca de 40 índios visivelmente miseráveis da etnia Guarani-Kaiowá de Mato Grosso do Sul continuam acampados ao lado do prédio do Supremo Tribunal Federal (STF). O objetivo do grupo trazido à Brasília pelo Cimi é usar a situação de penúria dos índios para comover os ministros e força-los a alterar decisão tomada com base na Constituição Federal que anulou demarcação no estado.

Suiá-Missu (Marãiwatsédé) continua em chamas

Imagem do satélite LandSat 8 capturada no último dia 09 de outubro.
As imagens de satélite continuam mostrando incêndios na Terra Indígena Marãiwatsédé, no Mato Grosso. Cerca de 123 mil hectares da área sob responsabilidade dos índios xavante e da Funai foi calcinada neste ano de 2014. O número corresponde a 78% da área da terra indígena e é 23% maior do que a área calcinada no ano passado quando 100 mil hectares foram queimados.

Nós quem, cara-pálida?: CNA estabelece prioridades para os próximos anos

Após conseguir um novo mandato para o Senado Federal pelo PMDB de Tocantins, a presidente da CNA, Kátia Abreu, foi reeleita nesta quarta-feira, 15, para a presidência da entidade, no triênio 2014/2017. A chapa única liderada por ela recebeu o apoio de 21 dos 22 participantes da eleição realizada por voto secreto, com um voto em branco. Outros cinco representantes de federações ligadas à CNA não votaram.

Justiça derruba liminar de reintegração de posse no Paraná e autoriza permanência da invasão de índios kaingang

O desembargador Rogério Favreto, do Federal do Tribunal Regional Federal – TRF da 4º região, com sede em Porto Alegre, suspendeu a decisão liminar que concedia reintegração de posse da fazenda Santa Maria, invadida por índios Kaingangs em Palmas, sul do Paraná. A liminar de reintegração de posse em favor do proprietário, Miguel Angelo Corvatti, foi concedida pelo Juiz Substituto, Inezil Penna Marinho Junior, da Justiça Federal de Pato Branco, no mesmo dia da invasão.

Novo presidente da Funai pode ser convocado pela Câmara dos Deputados

Em reunião da Frente Agropecuária nesta terça-feira, 14, o deputado federal Alceu Moreira defendeu a convocação pela Comissão de Agricultura do novo presidente da Funai, Flávio Azevedo, a fim de apresentar suas propostas à frente do órgão, hoje repleto de denúncias.

Terras Indígenas viram zona de tráfico de drogas no Ceará

O Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) enviou recomendação à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDC) para que o titular da pasta, Servilho Silva de Paiva, adote medidas urgentes para a repressão de roubo e tráfico de entorpecentes praticados nas aldeias indígenas Tapera e Saquinho, dos Tremembés de Almofala, no município de Itarema, no Litoral Oeste do Estado.

Os pistoleiros incompetentes do Mato Grosso do Sul atacam novamente

A Funai encaminhou na semana passada dois servidores desocupados até uma fazenda invadida por índios em Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul. O objetivo da missão foi verificar denúncias feitas por integrantes da tribo sobre ataques de pistoleiros ao grupo. Segundo Ismart Martins, líder da invasão, pessoas teriam ateado fogo nos barracos dos indígenas no domingo e pistoleiros tem atacado o acampamento.

Brasília pode ter duas terras indígenas demarcadas pela Funai

Mostramos aqui na semana passada que um acordo entre a Funai e a Terracap resultará na demarcação de primeira terra indígena de Brasília (veja aqui). Ocorre que apenas duas das três etnias que vivem no setor noroeste, área nobre do Plano Piloto, aceitaram o acordo. Uma terceira etnia briga na justiça para permanecer no centro da capital federal. Veja matéria da Record:

“Eles não aceitam ninguém entrar lá. Se entrarmos, estamos arriscando a vida. Estou tentando tirar as coisas, pelo menos os insumos”.

O agricultor Roberto Ramos arrenda uma fazenda em Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul. O imóvel foi invadido por índios há menos de um mês. O grupo ocupava uma parte da Reserva Legal do imóvel com autorização e conivência da justiça, mas decidiu descumprir a ordem judicial e invadir o imóvel. O produtor tenta negociar com a Funai a entrada na área para retirar seus pertences e insumos agrícolas armazenados no local.