Eduardo Cunha filia-se a Frente Parlamentar da Agropecuária

O Deputado Eduardo Cunha (PMDB) é o mais novo filiado da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Cunha disputada a Presidência da Câmara com o deputado do PT, Alindo Chinaglia. O presidente da Câmara tem o poder de engavetar ou fazer tramitar as matérias na casa. Cunha está comprometido com as demandas da FPA, entre eles permitir a tramitação da #PEC215, enquanto Chinaglia está comprometido com o Governo, que não quer a tramitação da PEC. "Meu compromisso com as bandeiras da bancada ruralista continua de pé. Não seremos submissos ao Executivo", disse Cunha ao assinar a ficha de filiação.

Estamos prontos para parar o Brasil, dizem índios kaingang do Rio Grande do Sul

As principais lideranças kaingang do Rio Grande do Sul participaram de um grande encontro no início dessa, na Terra Indígena Campo do Meio, em Gentil, no norte do Rio Grande do Sul. Cacique de 16 comunidades indígenas kaingang do estado deliberaram sobre a estratégia de ação para os próximos meses. "Estamos prontos para parar o Brasil e ocuparmos os nossos territórios", diz o documento que resultou do encontro.

Guta "Metralhadora" Assirati ataca Dilma Rousseff, José Eduardo Cardozo, Kátia Abreu e a #PEC215

A advogada e ex-presidente interina da Funai, Maria Augusta Assirati, a Guta, disse em mais uma entrevista bomba publicada hoje no jornal O Globo que o governo da presidente Dilma Rousseff "deixou muito a desejar" na área indígena. Guta acusou seu ex chefe, o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, de atrapalhar os processos de demarcação de terras indígenas submetendo-os ao crivo político. Maria Augusta disse que a PEC215 é descabida e ainda teve tempo de malhar a nomeação de Katia Abreu para o Ministério da Agricultura. Veja alguns trechos da entrevista e um link para a íntegra no final do post:

Mercadante pressiona Funai a liberar hidrelétricas

O chefe da Casa Civil da Presidência da República, Aloizio Mercadante, dirigiu a pressão de uma orquestra de Ministros contra a Funai e o Ibama em favor da liberação de hidrelétricas na Amazônia. Mercadante e ministros de Minas e Energia, Eduardo Braga, dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, dos Portos, Edinho Araújo, da Aviação Civil, Eliseu Padilha, e da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, apertaram a Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e representantes da Funai e do Ibama.

Famasul radicaliza o discurso e pode travar de vez a Questão Indígena no Mato Grosso do Sul

O debate sobre a Questão Indígena passa por um momento grave. Ontem um dos advogados da Federação de Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul (Famasul), Gustavo Passarelli, deu declarações que podem levar o setor rural do estado a amargar uma grande derrota. Pressionado por jornalistas sobre uma decisão judicial, Passarelli declarou que a Famasul é contra as demarcações no estado.

SPU mantém portaria apesar da pressão política do Mato Grosso

Uma comitiva de prefeitos da região do Araguaia no nordeste do Mato Grosso se reuniu na última terça-feira (27) com a secretária da SPU, Cassandra Maroni Nunes. A comitiva pressionou a secretária pela revogação da Portaria 294, que demarcou mais de um milhão de hectares como área de interesse público na região. Mas, apesar da pressão, a SPU manteve os efeitos da portaria.

Governo do Mato Grosso do Sul pressiona Cardozo a comprar terras invadidas por índios no estado

Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e o deputado Reinaldo Azambuja, em Brasília. (Foto: Isaac Amorim/MJ Notícias)
O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), se reuniu hoje (29) com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Azambuja pressiona o governo a definir a compra das áreas invadias por índios terena em Sidrolândia. Os produtores rurais estão sendo pressionados pelo Governo Federal a aceitar um acordo desfavorável e se sentem “com a corda no pescoço”.

Substituto de Gilberto Carvalho fala pela primeira vez sobre a Questão Indígena

Escolhido pela Presidente Dilma Rousseff para substituir Gilberto Carvalho na Secretaria Geral da Presidência, Miguel Rossetto falou pela primeira vez sobre a Questão Indígena. De acordo com o novo ministro, que ainda não exonerou o indigenista Paulo Maldos, o Governo Dilma não foi capaz de encontrar saída para impasse produzido pela limitação constitucional para a indenização de produtores rurais que ocupam áreas consideradas indígenas pela Funai.

Suiá-Missu: Funai venderá bens de produtores rurais para financiar novas aldeias indígenas no Mato Grosso

Cacique Dilma encontra Cacique Damião
O secretário executivo do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Cléber Buzatto, disse à Agência Brasil (ABr) que os índios xavante que receberam a área da antiga fazenda Suiá-Missu depois de expulsão dos agricultores construirão mais aldeias como forma de proteger o território. “Atualmente os xavantes tentam se organizar para ocupar toda a área. Os indígenas estão fazendo avaliações para ver o melhor momento de formar novas aldeias dentro desse território”, disse Buzatto.

Governo recorre à Justiça para não pagar arrendamento a produtores com imóveis invadidos por índios no Mato Grosso do Sul

Advocacia-Geral da União (AGU) entrou com recurso contra a decisão da Justiça Federal que manda a União pagar arrendamento por terras invadidas por índios no Mato Grosso do Sul. O agravo de instrumento foi protocolado no dia 21 de janeiro no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3).

Maria Augusta Assirati: Ex presidente da Funai diz que o governo travou as demarcações de Terras Indígenas

Decifra-me, ou devoro-te
O Governo parou as demarcações de terras indígenas. É o que se pode deduzir da entrevista bomba dada pela ex presidente interina da Funai, Maria Augusta Assirati, a Guta, ao portal Agência Pública. Em uma de suas aparições depois de ter abandonado o comando da Funai no último mês de outubro, Guta revela que o Governo da Presidente Dilma submeteu ilegalmente o processo de demarcação de terras indígenas ao crivo político. “A orientação é no sentido de que nenhum processo de demarcação em nenhum estágio, delimitação, declaração, ou homologação, tramite sem a avaliação do Ministério da Justiça e da Casa Civil”, disse Guta a jornalista Ana Aranha.

Respeitamos o Governo deles, diz Funai sobre Nação indígena do Acre

Um curumim de 4 anos morreu atropelado por uma moto no último sábado (24), na terra indígena Katukina na BR-364, em Cruzeiro do Sul, no Acre. O suspeito pelo atropelamento é um outro índio, de 29 anos. A polícia foi avisada do ocorrido por uma médica do Posto de Saúde e tenta localizar o suspeito, que está sendo acobertado pela própria comunidade indígena.

Saiba porque o Questão Indígena sairá do ar

Tchau, tchau, amor!!
Como já é de conhecimento público, as postagens do www.questaoindigena.org serão interrompidas no próximo dia 9 de fevereiro, quando a benfazeja iniciativa completará dois anos e virará malfadada finalizativa. Demos essa informação por meio de um post que pode ser lido aqui e de um vídeo que pode ser visto aqui. Resolvemos agora contar tudo. Continue lendo e você entenderá a razão pela qual a equipe do Questão Indígena decidiu parar com as publicações.

Produtores rurais não querem receber aluguel por áreas invadias no Mato Grosso do Sul

Para o advogado da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), Gustavo Passarelli, a decisão do juiz da 2ª Vara Federal de Dourados, que determinou que a União pague arrendamento aos proprietários das terras invadidas por índios no Mato Grosso do Sul, poderá provocar mais insegurança e intranquilidade nas disputas fundiárias entre produtores e indígenas no estado. Na decisão, o juiz determina ainda o início das ações de demarcações das áreas invadidas como terras indígenas.

Famasul vai recorrer de decisão que obriga o Governo a pagar aluguel por áreas invadidas

O assessor jurídico da Famasul, Gustavo Passardelli, informou nesta segunda, dia 26, ao Canal Rural que a entidade pretende entrar com recurso contra uma liminar da Justiça que determina o pagamento de aluguel aos produtores rurais que possuem terras invadidas por índios no Estado. "A Justiça deveria cumprir as ordens de reintegração de posse. O próprio juiz do caso reconheceu que as ocupações são irregulares", diz Passarelli.

Folha de São Paulo muda o viés de abordagem da Questão Indígena

Reportagem publicada na madrugada desta segunda-feira (26) no jornal Folha de São Paulo mostra uma significativa mudança no viés de abordagem da questão indígena pelo jornal. Escrito pelo jornalista José Marques (e não mais por Fabiano Maisonnave) o texto credita corretamente a confusão entre índios e produtores rurais no Mato Grosso do Sul na conta da União.

A multiplicação das aldeias xavante

No ano passado cerca de 80 índios xavante da aldeia Maireá, na Terra Indígena Areões, atravessaram o Rio Borecaia, que divide os municípios de Água Boa e Nova Nazaré e se instalaram provisoriamente às margens da BR 158. Segundo o vice-cacique Sulivan Xavante, o acampamento deve ser transferido para um local entre os Rios Bacaba e Borecaia, 6 km adiante, assim que a prefeitura construa uma estrada de acesso. Os índios pretendem instalar uma nova aldeia que deve se chamar Serra Nova.

A delinquência indígena derivada do dogma do indigenismo radical

Ontem, por volta das 14 horas uma carreta carregado com plumas de algodão tombou no km 240 da BR 070 a cerca de 30 km de Primavera do Leste, sentido Barra do Garças. O local que já é conhecido como "Curva dos Índios" fica próximo a uma das aldeias da reserva e os índios costumam saquear as cargas dos veículos que se acidentam no local.

Falta de água afeta reserva com cerca de 17 mil indígenas em Dourados

Índios guarani reserva de Dourados, no Mato Grosso do Sul, estão enfrentando problemas provocados pela falta de água. A situação, que já é antiga, piorou há cerca de duas semanas. Segundo os indígenas, um dos seis poços artesianos que abastecem a reserva secou e sobrecarregou as outras unidades. Desde então, tarefas diárias, como lavar roupa, deixaram de ser feitas para poupar a água para consumo, banho e cozinha.

Índios e agricultores tratados como iguais

O processamento da mandioca é a principal atividade dos índios da Aldeia Ekeruá, na cidade paulista de Avaí. A partir de agora, o trabalho poderá ser aprimorado, pois os indígenas passam a contar com a tecnologia de um barracão multiuso, entregue neste sábado, 24, pelo governador Geraldo Alckmin. A obra faz parte das ações de um programa do Governo do estado que apoia iniciativas e planos de negócios apresentados por associações ou cooperativas de produtores rurais, comunidades indígenas e quilombolas.